23.4.13


Depois da história do Felipe e Catalina, a caixa de entrada do meu e-mail ficou cheia de histórias de amor! Então decidi criar uma nova categoria: Conte sua história. Não precisa ser de amor. Pode ser de amizade, superação ou qualquer coisa do tipo. Só tem uma regra: final feliz! 

Inspirada na última história, A Rafaela me enviou sua história e do seu namorado, Vinicius. Eles tinham um Brasil de distância e muitas outras barreiras para enfrentar. Boa leitura!




"Há uns quatro anos atrás, um amigo meu jogava RPG (o tipo que você rola dados e cria o personagem, suas características e tem que narrar as ações do seu personagens) e me chamou pra jogar junto com ele. Pela internet. Aí, como eu já jogava há uns anos, resolvi experimentar. 
Com pouco tempo, conheci um garoto chamado Vinícius, que odiava ser chamado de Vinícius, e só queria ser chamado de Vini. 5 meses mais novo que eu. Era gaúcho e meio antissocial. E eu super sociável e morando no Ceará. Ele tava saindo de um namoro, mas ainda gostava bastante da menina. Foi conversando comigo sobre ela, e eu meio que fui desenvolvendo sentimentos por ele... Era gaúcho e colorado, e eu, por ter morado em RS quando era criança, era gremista. Depois de uns 3 meses conversando, ele me pediu em namoro, coisa que não deu muito certo... Terminamos e ficamos sem nos falar, cada dia um mais angustiado com o outro. A gente mal se conhecia, não tinha como dar certo. 
Uns quatro meses depois, por influência do nosso grupo de RPG, voltamos a nos falar. E a cada dia nos falávamos com mais e mais frequência e mais tempo. Foi mais ou menos nessa época que vi a primeira foto dele. Tempos depois eu descobri por um amigo em comum que ele se apaixonou por mim desde a primeira foto minha que ele viu, mesmo eu estando de cabelo curtinho (que ele nunca gostou) e roxo (ele preferia loiras e não... amoras). 
Tempo vai e tempo vem, vamos ficando com outras pessoas. A paixão sempre fica ali, cutucando, mas ninguém decidia começar nada. Aí então, 1 anos depois da nossa primeira tentativa de namoro, começamos a namorar de novo. Mas e aí, quando iríamos nos ver? 
Poxa, passei por uma fase ruim. A mãe dele não gostava muito de mim, e tinha um pé atrás com o namoro (na verdade, tinha o corpo inteiro atrás). Fazia pressão pra ele terminar, queria que ele namorasse alguém da cidade dele. Dizia que eu não era boa influência. Mesmo assim, comecei a juntar dinheiro pra pagar a passagem de ida, e ele pagaria a passagem de volta. Começamos a namorar no dia 08/02/10, e em dezembro iríamos nos ver.
Iríamos... Se não fosse a pressão da mãe dele e se ele não tivesse conhecido outra garota. Quando comecei a sentir que essa garota estava se aproximando, decidi pular fora. Isso quando fazia 3 meses pra eu ir lá. Brigamos e acabamos terminando (de novo). Fiquei mal, mas decidi seguir em frente, a vida continua, né? Gastei tudo o que eu tinha juntado, e depois de dois meses, volta o cão arrependido... Sentiu falta, não deu certo, só se encrencou. Ao que parece, passou a ficar taciturno e briguento sem mim.
Depois de um mês meio que... Pisando nele... Resolvi voltar, deixando claro que aquilo não iria se repetir. O castigo pra isso? Ia demorar mais um ano pra me ver. Ou era o que a gente achava... Passou mais um ano e a gente não podia se ver por falta de dinheiro. Nesse meio tempo, morei sozinha e a barra tava pesada. Minha mãe casou com um gaúcho e ressurgiam as esperanças de voltar a morar no Rio Grande do Sul. Voltei a morar com minha mãe, e uns seis meses depois, o marido dela foi pra sua cidade em RS, pra adiantar as coisas por que... íamos nos mudar pra lá o/
Em 20/12/12 eu cheguei em Porto Alegre super cansada depois de dois longos vôos. Peguei um táxi e fui pra rodoviária e tomei um ônibus pra Estrela. Duas horas depois, na real, quatro anos depois que comecei a conversar com o Vini, finalmente pude abraçá-lo. Passamos o Natal e o Ano Novo juntos, e parecia que tínhamos passado esses quatro anos um ao lado do outro: desde o primeiro beijo, as coisas eram tão naturais como se tivesse sido sempre assim. 
Agora a gente se vê sempre que pode. Tô aproveitando minha última semana antes da faculdade começar aqui, na casa dele. Ainda moramos em cidades diferentes, mas bom, pra quem morava a um Brasil de distância, tá ótimo!
Eu vivi muita coisa ruim até chegar a esse momento. Tive que passar por cima de gente que queria acabar o namoro, tive que ganhar a aceitação da família dele (e hoje me dou super bem com eles, eles que me convidam pra vir pra cá agora) e tive que resistir muito. E ele também. Porque a gente sentia falta de carinho, de beijinho... Todo esse universo de coisas que tivemos que esperar 3 anos de namoro pra ter. 
Mas se você me perguntar se valeu a pena, vou te dizer que não. Não valeu a pena. Tá valendo ainda! Não só a pena, mas a galinha inteira :)"




Obrigada por contar sua história, Rafaela! E felicidades para vocês!

Quer mandar a sua história também? envie um e-mail para anarantes@live.com com a história e algumas fotos. Lembre-se da regra: final feliz.

Marcadores: , ,



comments powered by Disqus







a blogueira


Olá. Eu sou a Ana, tenho 20 anos e acabei de sair de Petrópolis (região serrana do Rio de Janeiro) para viver novas experiências na grande São Paulo. O Bolas de Meia é o meu cantinho onde compartilho um pouco do que sei, vejo, vivo e sinto. Para me conhecer melhor, clique na foto acima ou me encontre nas redes sociais abaixo.





facebook






categorias


instagram


link-me!
Bolas de Meia -
Bolas de Meia -


correio




publicidade

Choies-The latest street fashion
www.lalalilo.com
lalalilo.com
arquivos

















Bolas de Meia - 2011 ~ 2013 ©
Todas as postagens aqui contidas são de autoria da Ana Arantes, exceto quando apontado o contrário. As imagens utilizadas são fruto de reproduções, e se você teve seu conteúdo publicado aqui e deseja que seja retirado, entre em contato em contato@bolasdemeia.com.




Design e codificação por Júlia Duarte.



From scratch, with ♥
Powered by Blogger.
Ícones We ♥ Icon Fonts
Ilustrações: Malena Flores